Instalando o Orca no Slackware 14.2

Aiyumi -

Estas são instruções para instalar o leitor de telas Orca no Slackware 14.2 sem o ambiente de desktop Gnome. Não é a versão do Orca mais recente, mas é a compatível com as versões das bibliotecas que vêm por padrão no Slackware (para instalar o Orca mais recente, seria necessário recompilar versões mais recentes de muitos dos programas que já vêm no Slackware e seria muito mais difícil).

Do Slackware 14.1 para o 14.2, diminuiu bastante a quantidade de dependências, o que é uma coisa boa. A maioria das bibliotecas específicas do Gnome foram embora, não precisa mais recompilar programas que vinham no Slackware, e agora tudo que usa Python passou a depender do Python 3 em vez do Python 2. Se vierem mais dessas mudanças que facilitem as coisas, talvez logo seja possível que o Orca consiga entrar no Slackbuilds.org, aí não precisaremos mais ficar fazendo estes malabarismos com meus scripts. Vamos ter esperanças!

Para quem usou minhas instruções e instalou o Orca no 14.0 ou 14.1 e vai atualizar para o 14.2, precisa remover as dependências obsoletas com o comando abaixo (quem ainda não tem o Orca instalado não precisa usar este comando, mas olha só quantas dependências foram embora :D ):

# removepkg gnome-mime-data gnome-vfs gnome-python libgnome libbonobo ORBit2 pyorbit

Agora, as instruções de instalação propriamente ditas. Antes de mais nada, você precisa ter o Sbopkg instalado.

Na verdade, o processo para baixar e instalar o Orca continua quase igual ao que era antes. Se quiser, você pode ler as instruções anteriores para explicações mais detalhadas, mas resumindo:

  • Baixe o meu repositório e configure o Sbopkg para usar meus scripts:

    # git clone https://github.com/aiyumi/slackware-scripts.git
    # cd slackware-scripts
    # cp -R slackbuilds /var/lib/sbopkg/aiyumisb
    # cp slackbuilds/100-aiyumi.repo /etc/sbopkg/repos.d
    # cp sbopkg-queuefiles/aiyumisb/accessibility/*.sqf /var/lib/sbopkg/queues
    
  • Execute o Sbopkg com o meu repositório:

    # sbopkg -V aiyumisb/local
    
  • Se você ainda não tiver o Espeak (que o Orca usa por padrão), vá em "Queue" -> "Load", carregue o queuefile "espeakup" e instale. O Espeak será instalado junto com o Espeakup, que adiciona suporte a voz via Espeak ao Speakupp (leitor de telas para console, que é sempre bom ter).

  • Vá em "Queue" -> "Load", carregue o queuefile "orca", mande instalar e espere até terminar.

  • Edite as configurações do Speech-Dispatcher em "/etc/speech-dispatcher/speechd.conf". Certifique-se de que o módulo do Espeak está sendo usado e configurado para falar no idioma de sua preferência (no meu caso, Português). As linhas relevantes são:

    # ----- VOICE PARAMETERS -----
    DefaultLanguage "pt"
    
    # -----OUTPUT MODULES CONFIGURATION-----
    AddModule "espeak"       "sd_espeak"   "espeak.conf"
    
    DefaultModule espeak
    
    LanguageDefaultModule "pt"  "espeak"
    

    Para testar, use o comando "spd-say algumacoisa". Se sair som, então está funcionando!

  • Por último, copie o arquivo "/usr/doc/orca-*/orca.atspi2.xinitrc" para "~/.xinitrc" (é ele que seta as variáveis para ativar a acessibilidade na interface gráfica) e edite a última linha com o comando para iniciar o seu gerenciador de janelas ou desktop favorito (por exemplo, "startfluxbox" para o Fluxbox ou "startxfce4" para o XFCE).

Pronto. Aí é só usar o comando "startx" para entrar na interface gráfica e ouvir o Orca abrir a matraca :D .

Nota sobre o Firefox: nas instruções para o 14.0 e 14.1, eu tinha falado que o Firefox do Slack vinha com acessibilidade desabilitada e precisava ser recompilado, o que levava horas. A má notícia é que o Firefox do Slackware ainda vem sem acessibilidade. Mas a boa notícia é que eu descobri que não precisa compilar outro! Graças a este post do Frankiej, fiquei sabendo deste script que baixa o binário do Firefox fornecido pela Mozilla (em que a acessibilidade funciona) e cria um pacote ".txz" para o Slackware que pode ser instalado com installpkg normalmente.

Apesar do nome "latest-firefox", este script não se limita a baixar a última versão do Firefox. Na verdade, você pode usá-lo para baixar qualquer versão que quiser. É só passar a variável "VERSION" para o comando que executa o script. Por exemplo, no momento em que escrevo este post, o plugin do Java não funciona na última versão do Firefox porque tiraram o suporte à API que o plugin usa. Para quem precisa do plugin do Java, enquanto não sai uma versão do Java com um plugin compatível com o último Firefox, o jeito é usar uma versão anterior do Firefox onde o plugin do Java ainda funciona. A última versão do Firefox onde a API obsoleta funciona é a 51.0. Neste caso, o comando para obter o pacote do Firefox 51.0 para o Slack seria:

# VERSION=51.0 ./latest-firefox.sh

ou ainda, para o Firefox 51.0 com a interface em Português brasileiro:

# VERSION=51.0 FFLANG=pt-BR ./latest-firefox.sh

E o programa vai deixar o pacote pronto em "/tmp". Chega de ter que esperar três horas para compilar o Firefox a cada versão :P .

Slackware 14.2, Leitores de Tela e PulseAudio

Aiyumi -

Depois de um longo e tenebroso inverno (e primavera, e verão, e mais um pouco) finalmente estou no Slackware 14.2. Já faz quase um ano que saiu, mas eu estava sem coragem nem ânimo para atualizar, principalmente porque quando tentei atualizar a instalação no meu netbook (que serviu de cobaia como sempre), não tinha dado certo (é a primeira vez que tenho problemas tentando atualizar o Slackware). O sistema ficou sem som no meio da atualização e perdi o acesso aos meus programas leitores de tela dos quais eu dependo para fazer qualquer coisa no computador (ainda bem que foi no netbook e não na minha máquina principal!). Eu não estava conseguindo resolver e perdi a paciência de investigar, e acabei deixando de lado por um bom tempo. Agora que estou de férias do trabalho e com um pouco mais de tempo, finalmente arranjei paciência e coragem para tentar de novo.

more…

Bach/Gounod Ave Maria no Violino (Fá Maior)

Aiyumi -

A "Ave Maria" de Charles Gounod, baseada no "Prelúdio em C (dó) maior" de Bach. Esta é uma das músicas que eu vinha querendo aprender a tocar desde antes de começar a estudar violino. Para minha surpresa, ela aparece no livro 2 do Shinozaki, porém em fá maior em vez de dó maior como a original (a versão em dó é em um nível mais avançado, e se não me engano, está no próximo livro).

Quando gravei o violino, o acompanhamento não estava pronto ainda, então tive de usar um metrônomo para tentar gravar no tempo certo. Infelizmente eu gravei o violino trocentas vezes e o resultado não ficou tão bom quanto eu gostaria, mas foi o melhor que consegui fazer no nível atual. Quando chegar na versão em dó maior no próximo livro, quem sabe finalmente fique do jeito que eu queria...

O arquivo MIDI do acompanhamento foi criado no Linux usando um programa de linha de comando chamado MMA (Musical Midi Accompaniment). Foi digitado em dó maior e transposto para fá maior (sim, eu confesso, eu trapaceei :P . Pelo menos já terei o acompanhamento pronto quando chegar na versão em dó maior). Depois, o áudio foi renderizado com o som de harpa do meu teclado Motif XF.

Edit: só depois que fui ver, acho que eu misturei os arquivos de áudio e acabei não usando o som gerado no Motif XF. Esse som de harpa é do Fluid R3 Soundfont... ah, agora já foi :P .

Baixar/ouvir o áudio: bg-ave-maria_f01.ogg (OpenDrive) | bg-ave-maria_f01.mp3 (4shared)

Download do acompanhamento: MIDI (dó maior) | MIDI (transposto para fá maior) | arquivo fonte do MMA (que na verdade nada mais é do que um arquivo de texto)

Meu Novo PS4 Slim! Algumas Impressões e Dicas Rápidas

Aiyumi -

O principal motivo pelo qual eu nunca tinha me interessado pelo PS3 e demorei tanto para me interessar pelo PS4 foi porque ambos não tinham jogos que me atraíssem. O forte do PS3 e do PS4 parecem ser jogos voltados para gamers hardcore, cheios de ação e com gráficos arrasadores. Em geral jogos de tiro, de guerra e de futebol, que não são a minha praia (prefiro jogos mais calmos como RPGs com batalhas em turnos). Mas agora estão aparecendo JRPGs (RPGs japoneses) de meu interesse no PS4, principalmente o Persona 5, o RED ASH e o Final Fantasy VII Remake. Então finalmente decidi que iria comprar um PS4.

Depois de vários meses esperando e comparando preços, e então descobrindo que o PS4 Slim seria lançado e tendo que esperar mais ainda, finalmente adquiri meu PS4 (como diz o ditado, quem espera sempre alcança :P ). Na verdade eu ia esperar um pouco mais, mas o resultado das eleições dos Estados Unidos fizeram o Dólar subir adoidado, e como por aqui coisas de games costumam ser importadas, os preços só tendem a subir. Então, resolvi que era agora ou... bem, não diria "nunca", mas sabe-se lá quando os preços voltariam a valores aceitáveis se resolvesse esperar mais.

Optei pelo PS4 Slim porque, segundo as minhas pesquisas, ele é mais silencioso e consome menos energia, e a bateria do novo modelo do controle (sem fio) que vem com ele também dura mais.

Seguem algumas dicas e observações que reuni durante as minhas pesquisas e meus testes, além das minhas impressões sobre o console.

more…

Assista Online ao Episódio Especial de Anime do Persona 5

Aiyumi -

No post anterior, eu falei sobre a série Persona e como estou animada para o lançamento de Persona 5.

No dia 3 de setembro de 2016, no Japão foi ao ar um episódio especial de anime de Persona 5 para divulgar o jogo. O especial se chama "Persona 5 the Animation - the Day Breakers" e narra uma sidequest dos protagonistas (é uma missão aleatória que não interfere na história principal do jogo, então não tem spoilers).

O Crunchyroll é um site de streaming de anime (no estilo do Netflix), que licencia e transmite animes legalmente e compartilha o dinheiro obtido das assinaturas com os criadores dos animes, e também dispõe de uma seleção de animes para serem assistidos gratuitamente (muitos com legendas em Português) (porém com propagandas interrompendo o vídeo de tempos em tempos :P ). O site disponibilizou o especial do Persona 5 para seus assinantes em 3 de setembro, simultaneamente à transmissão no Japão. E uma semana depois (em 10 de setembro), o episódio foi liberado também para os não-assinantes, e é possível assistir gratuitamente (inclusive com legendas em Português!) clicando aqui (não precisa criar cadastro nem nada. É só entrar na página e assistir!).