Internet Banking Caixa e Java 7 Update 51

Aiyumi -

Na semana passada (lá pelo dia 17 de janeiro de 2014), tive de atualizar a instalação do Java. Fazendo isso, a versão do meu Java passou a ser "Java JRE 1.7.0_51", e o plugin de navegadores "Java(TM) Plug-in 10.51.2". Mas aí, o internet banking da Caixa parou de funcionar. Sempre caía numa página com código de erro CM12, dizendo que houve um problema no cadastro de computadores, com um link para o site da Oracle para baixar o Java, mesmo com o Java instalado e funcionando perfeitamente (até o site do Banco do Brasil funcionava, só o da Caixa que não). Tentei o telefone do 0800 mas a ligação vivia caindo e não consegui resolver nada, então fui procurar por conta própria. Como eu uso Linux, pensei que fosse algum problema relacionado ao Linux e pesquisei de tudo quanto era jeito e nada. Até que encontrei este post:

http://www.vivaolinux.com.br/dica/Java-JRE-17-51-Instalacao-facil-no-Debian-7-em-tres-passos

Mais especificamente este comentário:

[5] Comentário enviado por jairus em 21/01/2014 - 11:33h:

Bom dia pessoal !!!

O que aconteceu com o Java 7_51, foi a questão de Lista de Sites de Excessões, que deverá ser configurada de acordo com a necessidade de cada usuário.

A funcionalidade Lista de Sites de Exceção está sendo introduzida na release Java 7 Update 51. A inclusão do URL da aplicação na Lista de exceções permite aos usuários executarem RIAs (Rich Internet Applications) que normalmente seriam bloqueados por verificações de segurança.

Veja a seguir os casos que permitirão que as aplicações sejam executadas por meio da inclusão do URL da aplicação na lista de sites de exceção:

.Se a aplicação não estiver assinada com um certificado de uma autoridade de certificação confiável. .Se a aplicação estiver hospedada localmente. .Arquivo Jar sem o atributo de manifesto de Permissão. .Aplicação assinada com um certificado expirado. .O certificado usado para assinar a aplicação não pode ser marcado para revogação.

Gerenciar a Lista de Sites de Exceção

A lista de sites de exceção é gerenciada na guia Segurança do Painel de Controle do Java. A lista é mostrada na guia. Para adicionar, editar ou remover um URL da lista, clique em Editar Lista de Sites e siga as orientações mostradas.

Adicionar um URL

.Clique no botão Editar Lista de Sites. .Clique em Adicionar na janela Lista de Sites de Exceção. .Clique no campo vazio embaixo do campo Localização para inserir o URL. .Exemplo: http://myexample.com (observação: o URL deve começar com http:// ou https://) .Clique em OK para salvar o URL que você inseriu. .Clique em Continuar na caixa de diálogo Advertência de Segurança.

Editar um URL

.Clique duas vezes no URL que você deseja editar na janela Lista de Sites de Exceção. .Faça a alteração no URL. .Clique em OK para salvar as alterações.

Remover um URL

.Clique no URL que você deseja remover na janela Lista de Sites de Exceção. .Clique em Remover. .Clique em OK para salvar sua alteração.

Observação: se um conjunto de regras de implantação ativo for instalado no sistema, as regras de implantação terão precedência sobre a lista de sites de exceção. A lista de sites de exceção só é considerada quando a regra padrão se aplica. Consulte Conjunto de Regras de Implantação (http://docs.oracle.com/javase/7/docs/technotes/guides /jweb/deployment_rules.html) para obter mais informações sobre regras de implantação.

Fonte: http://java.com

Ok, pode ser isso, mas onde fica esse tal do painel de controle do Java? Nem sabia que existisse uma coisa dessas! Pesquisando mais um pouco, achei isso:

https://blogs.oracle.com/brunoborges/entry/novo_java_7u51_e_os

No Windows e no Mac, fica no painel de controle/preferências mesmo. No Linux, é para digitar o comando "jcontrol" num terminal. Vai aparecer uma interface gráfica com as configurações. Vá na aba "Segurança", depois em "Editar Lista de Sites" e em "Adicionar", então adicione estes dois endereços:

https://internetbanking.caixa.gov.br
https://internetbankingpf.caixa.gov.br

Outra forma de fazer isso é editar o arquivo "exception.sites" (é um arquivo de texto normal), colando os dois endereços nele.

No Windows, fica em: C:\Users\%USER%\AppData\LocalLow\Sun\Java\Deployment\security\exception.sites

No Mac: ~/Library/Application Support/Oracle/Java/Deployment/security/exception.sites

No Linux: ~/.java/deployment/security/exception.sites

Depois que eu fiz isso, o internet banking da Caixa finalmente voltou a funcionar!

Resumindo, o problema era um recurso que adicionaram nessa última versão do Java, e estava nas configurações do Java e não importa qual o sistema operacional. O ruim é que a solução pode não ser tão fácil de descobrir, principalmente para usuários leigos. Não uso Java (só tenho instalado mais por causa dos sites de bancos que insistem em usá-lo), não acompanho as novidades, e mesmo que acompanhasse, não é fácil de saber quais delas vão me afetar. Mas agora felizmente resolveu, e espero que este post seja útil para mais gente.

O Poder dos SlackBuilds

Aiyumi -

Eu adoro os SlackBuilds, os scripts para compilar programas e criar pacotes para o Slackware. Fiquei maravilhada após ler um ótimo artigo explicando as vantagens dos SlackBuilds VS. compilar manualmente com os comandos "./configure && make && make install". Eu queria poder colocar um link para ele, mas infelizmente o site não existe mais (era o site do GoblinX, uma distribuição brasileira baseada no Slackware, que depois virou ImagineOS, mas parou de ser atualizada faz um bom tempo).

Outro dia, recebi uma mensagem de uma pessoa que estava tentando usar os meus scripts para instalar o Orca no Slackware (que aliás, atualizei para funcionarem no 14.1!), com dúvidas sobre SlackBuilds em geral. Então resolvi explicar, e essa foi a resposta que eu dei pra ele:

Basicamente, o SlackBuild é apenas um Shell script que define algumas variáveis ​​comuns (como a arquitetura da sua máquina), aplica patches se necessário, e especifica quais opções devem ser passadas ao "./configure" (como dizer que gostaríamos de instalar os binários em "/usr/bin" e as bibliotecas em "/usr/lib", em vez de "/usr/local/bin" e "/usr/local/lib", que costumam ser os padrões se nada for especificado no "./configure"). Ele compila o programa, copia os arquivos de documentação para lugares apropriados, depois empacota tudo em um ".tgz" ou ".txz" (se você usar, por exemplo, "tar -tf nomedopacote.tgz" para ver seu conteúdo, vai perceber que é algo como a estrutura de diretórios do seu sistema de arquivos, com "usr/bin" etc, compactado com Tar e Gzip). Estes pacotes são muito fáceis de instalar com "installpkg". Quando um pacote é instalado, um arquivo com o nome do pacote sem a extensão ".t?z" é colocado em "/var/log/packages" com a lista de todos os arquivos que foram instalados com o programa. E uma das coisas que mais gosto é que eles também são muito fáceis de desinstalar com "removepkg". Se o programa foi compilado com "./configure && make && make install" manualmente sem o SlackBuild (portanto, não empacotado e sem a lista de arquivos em "/ var / log / packages"), é muito mais difícil saber quais arquivos foram instalados onde, e para removê-los, o jeito mais fácil é entrar no diretório com os fontes do programa (é necessário baixar o código fonte de novo se não o tivermos mais, dar "./configure" com as mesmas opções que usamos para instalar pela primeira vez - se é que lembramos quais opções passamos :P - para gerar o makefile de novo), então usar "make uninstall" (e adivinha, nem todo programa que tem "make install" também tem a opção "make uninstall"! Então, já viu a confusão que pode dar?)... Por outro lado, se tivéssemos instalado o programa por meio de um pacote do Slackware, poderíamos removê-lo simplesmente fazendo "removepkg nomedopacote" e as ferramentas de pacote do Slackware se encarregariam de encontrar e remover os arquivos corretamente. Em outras palavras, é maravilhoso :D.

Isso me ocorreu depois e eu não mandei na resposta, mas também tem gente que gosta de usar programas como o Checkinstall, que monitora a saída do "make install" para saber quais e onde foram parar os arquivos, depois cria um pacote instalável (suporta várias distribuições, incluindo o Slackware), mas particularmente prefiro usar SlackBuilds (mesmo que dê um pouco mais de trabalho criar um script se não existir um pronto para o programa que eu quero) porque serve como uma forma organizada de documentar as opções e os passos usados para compilar o programa, bem úteis quando precisar atualizar e compilar de novo.

Nova Seção de Pokemon

Aiyumi -

Adicionei uma nova seção de Pokemon ao site, principalmente para publicar meus arranjos de músicas e os áudio dramas das minhas fan fics que já mencionei. Porém, a página está disponível apenas em Inglês, sem planos para tradução (sinto muito). Para visitar, vá aqui.

Instalando o Orca no Slackware 14.0

Aiyumi -

Estava dando uma olhada no Slackware Current, que agora contém os pacotes que entrarão na próxima versão (14.1, se não mudar de nome como aconteceu com o 13.37). Para minha surpresa, foram incluídos o AT-SPI2-Core e o AT-SPI2-ATK, duas dependências muito importantes do leitor de telas Orca, inclusive as versões são mais recentes do que as que eu tenho! Mas acho que não foi pensando em acessibilidade que eles colocaram (algum outro pacote novo deve ter essas libs como dependência) porque nos SlackBuilds ainda tem uns pacotes "./configurados" com "--disable-introspection" e "--disable-accessibility" (quando fui instalar o Orca no meu sistema atual, tive muita dor de cabeça até descobrir que vinha por padrão assim. Precisei habilitar as opções e compilar esses programas de novo). Mesmo assim, a cada nova versão do Slackware, mais dependências do Orca vêm sendo incorporadas à instalação padrão. Talvez, daqui a algumas versões, todas (ou quase todas) as dependências do Orca finalmente estejam preenchidas. Enquanto esse dia não chega, reuni os SlackBuilds para compilar o Orca e suas dependências e os enviei para o Github. Alguns são meus (porque não achei prontos em lugar nenhum) e outros são cópias dos scripts do Slackbuilds.org ou de pacotes do próprio Slackware (alguns que precisaram de ajustes e recompilação), todos reunidos em um só lugar para ficar mais fácil. Não são as versões mais recentes, mas são as específicas para funcionarem com as versões das bibliotecas que vêm por padrão no Slackware 14.0 (para construir as mais recentes seria necessário compilar muita coisa extra e daria muito mais trabalho). E para aqueles se perguntando se precisa instalar o Gnome, não, não precisa. Ao contrário do que possa parecer, apesar do Orca ser parte do Projeto Gnome, ele pode muito bem funcionar normalmente sem esse ambiente desktop tão pesado. Segue abaixo um guia rápido de como fazer para instalar o Orca no Slackware, sem o Gnome:

more…

Twitter e Atualizações

Aiyumi -

Pode não parecer, mas muita coisa aconteceu desde o meu último post:

  • Fiz um arranjo de outra música de Pokemon Black & White. É a música "Ghetsis' Ambitions". O arranjo pode ser ouvido e baixado aqui ou aqui.

  • Provavelmente, este é o site onde estou mais ativa no momento. Nunca mencionei aqui antes, mas já há algum tempo, venho escrevendo uma fan fiction de Pokemon Black & White (em Inglês), chamada Soul Link, que estou atualizando regularmente (e silenciosamente).

  • Fiz uma adaptação para áudio drama de uma cena dessa mesma fan fiction. A fanfic está em Inglês, mas o áudio drama é em Japonês. As falas são praticamente as mesmas da cena na fic, então se a pessoa entender a cena em Inglês, vai poder entender o drama em Japonês. Quem gosta de assistir a animes com áudio em Japonês talvez ache interessante... Ou não :P. De qualquer forma, ele pode ser encontrado aqui. O arranjo da música que mencionei acima também foi usado nele.

  • Enviei mais alguns sons para o Freesound. Também adicionei vários sons interessantes de outras pessoas aos meus favoritos.

  • Finalmente consegui organizar meus scripts (SlackBuilds) para compilar o Orca no Slackware e enviá-los para o Github.

    Edit (2013-09-27): instruções de como usar os scripts agora podem ser encontradas aqui.

  • Comprei um 3DS XL. Eu não estava pensando em fazer isso ainda, mas, mais uma vez, encontrei um barato (para os padrões brasileiros) e os preços em geral estão subindo por causa da inflação, então resolvi comprar logo antes que fique muito caro. Não vou fazer uma review como fiz com o outro, mas basta dizer que comparado ao 3DS normal, os botões são mais confortáveis, o console é fácil de segurar (apesar de ser um pouco pesado) e a bateria dura mais.

  • Em meados de julho, a minha conexão com a internet caiu e fiquei sem acesso por quase duas semanas, afetando meu trabalho e tudo mais. Todo dia ligando para a operadora e só recebendo desculpas inúteis na maioria das vezes. Demorou muito tempo para que eles tivessem a boa vontade de enviar um técnico aqui para arrumar. O problema afetava toda a região onde moro, então não era só comigo. Esperemos que esteja resolvido agora.

  • Recentemente, tenho escutado muita música japonesa que utiliza software de síntese de canto como VOCALOID e UTAU.

Bom, como já deve ter dado para perceber, muita coisa aconteceu. O problema é que não tenho paciência para escrever um post completo para cada coisa que eu faço, e muito menos em três idiomas... Então eu percebi: não é esse o propósito de um microblog como o Twitter? Atualmente meu Twitter não está sendo muito usado além de avisar automaticamente quando eu posto alguma coisa aqui. Estou pensando em fazer com que ele atualize (de preferência automaticamente também) sempre que eu publicar um capítulo da fanfic, ou um vídeo no Youtube e talvez algumas outras coisas, para que as pessoas possam saber que ainda estou ativa, mesmo que este blog não seja atualizado constantemente. A conta é "@aiyumi_en". Se quiser pode me seguir, ou se você é como eu e não costuma acompanhar redes sociais, pode usar essa feed RSS.